Mesmo com queda nos repasses, Prefeitura de Guaxupé mantém contas em dia e serviços à população - Gminas TV - Gminas TV

Somente neste mês, 161 Prefeituras mineiras foram alertadas pelo Tribunal de Contas do Estado

Prefeito Jarbinhas – Guaxupé

Algumas Prefeituras no Estado de Minas tem sofrido com a queda nas receitas e a pressão com a folha de pagamento de servidores. Isso tem gerado corte de gastos que vai desde suspensão de serviços antes prestados e até mesmo a demissão de pessoas contratadas. Esse movimento que começou nos últimos meses de forma tímida, vem ganhando força neste semestre, conforme contabiliza a AMM – Associação Mineira dos Municípios. Em Guaxupé, a realidade tem sido um tanto diferente. Com as contas em dia, inclusive com metade do 13º salário pago em junho deste ano, a Prefeitura tem contratado novos servidores aprovados no concurso público de 2016 e ainda tem implantado novos serviços à população.

Manchete no Jornal Hoje em Dia, a demissão em massa das Prefeituras mineiras tem sido motivo de discussão e preocupação dos gestores públicos. Em entrevista, o presidente da AMM, Julvan Lacerda que também é prefeito de Moema, disse que a maioria das cidades em Minas Gerais estão aderindo ao movimento de demissões de servidores. Ele mesmo já cortou cerca de 20% o número de funcionários no Executivo, cerca de 60 cargos.

A grande preocupação dos prefeitos é em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal, que determina que o orçamento dos Municípios não ultrapasse 54% com a folha de pagamento. A Prefeitura de Guaxupé é uma das mais enxutas do Estado de Minas. Com 52.245 habitantes, de acordo com o IBGE, a folha de pagamento do funcionalismo público municipal atualmente representa 45,4% da receita corente líquida do Município. Mas, somente neste mês de agosto, 161 cidades mineiras foram alertadas pelo TCE-MG (Tribunal de Contas do Estado de Minas) por já terem ultrapassado 90% do valor de teto.

Para Jarbinhas, prefeito de Guaxupé e presidente da AMOG – Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana, é preciso muita atenção neste momento: “É notório que a economia brasileira não vai bem e alguns repasses estão chegando atrasados aos nossos Municípios. É tempo de administrar cada centavo dentro da Prefeitura. É preciso saber onde e como investir, evitando assim desperdício de dinheiro público”, disse o gestor que tem mantido os efeitos da crise econômica longe da Prefeitura de Guaxupé.

“Fazemos reuniões diárias. Planejamos e acompanhamos para onde e como está indo o dinheiro dos cofres públicos. Estou prefeito de Guaxupé há 04 anos e 08 meses. Minha vida toda foi dedicada à administrar minhas redes de hotelaria e supermercados. Não sou político, sou gestor. Talvez seja esse o que tem feito de nossa cidade o diferencial de algumas outras pelo Estado de Minas e Brasil”, finalizou Jarbinhas.

Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste site, sem autorização prévia por escrito dos responsáveis, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônico, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros.