Tromba d’agua em fazenda causou o alagamento na Vila Progresso

Na madrugada de sábado para domingo, os moradores da vila progresso em Guaxupé foram surpreendidos com um aguaceiro, proveniente de uma tromba d’agua que teria acontecido em uma fazenda próxima à cidade. O bairro existe a aproximadamente 35 anos. Fato como esse desse final de semana, teria acontecido outras vezes, mas não com essa proporção. 76 famílias foram prejudicas com o alagamento, sendo que 15 famílias perderam tudo que estavam em suas casas.Com o alagamentos, boatos surgiram de que a água que teria invadido o bairro, teria saído de um clube da cidade e de mais 30 açudes. De acordo com o assessor de comunicação da prefeitura municipal, assim que ocorreu o fato, os lugares que poderiam ter ocasionado o alagamento foram visitados, e constatados que não teriam sido os causadores do problema.A construção de casas próximas a cursos d’aguas naturais que são consideradas áreas de APP (áreas de preservação permanentes), é  proibida.  De acordo com a lei 12.727/12 do código florestal, para um curso d’agua com menos de 10 metros de largura, que é o caso do rio que passa pela vila progresso, é de pelo menos 30 metros.  Com o alagamento, a população em geral, se sente revoltada, e a pergunta que percorre por todas as redes sociais e pela cidade, é: Existe um culpado por toda a situação que o bairro vem enfrentando nesses 35 anos?Com a situação que comoveu toda a população guaxupeana e cidades da região,  foi declarada na manhã de hoje pelo prefeito Jarbas Correa Filho, estado calamidade pública.Ainda de acordo com o coordenador da defesa civil de Guaxupé, será votado um projeto de lei para isenção de IPTU 2017 para as famílias da vila progresso  que foram prejudicadas com o alagamento.Ainda de acordo com o assessor de comunicação da prefeitura municipal, não se sabe se os responsáveis pela construção do bairro, tiveram a consciência de que um problema como esse poderia vir a acontecer no futuro.

 

 

Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste site, sem autorização prévia por escrito dos responsáveis, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônico, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros.