O Uber, o WhatsApp e o Netflix como novos sinônimos de pirataria!(?) - Gminas TV - Gminas TV

No Brasil o normal é ser caro e ‘meia boca’.

Publicado por Dr. Bruno Leonardo Castro1 dia atrás

Esses dias tive mais um exemplo claro, de como nossa língua portuguesa é versátil e capaz de mudar a cada dia.

Aprendi um novo significado para o termo Pirataria.

Vou explicar melhor:

Para os taxistas o Uber é um táxi pirata. Para o presidente da Vivo, o WhatsApp “é pirataria no pior sentido […]”. E o que dizer então do Netflix, considerado pelas empresas de TV por assinatura, segundo o UOL, o “Uber do audiovisual“!

Concluí então que, no Brasil, ‘pirata’ é um termo que agora será utilizado para designar o produto ou serviço inovador, de qualidade, que não esfola o bolso do cidadão.

Sim, pois a ‘ética do mercado’ nacional é oferecer meio serviço de telefonia, meia banda larga, meio serviço de TV por assinatura, por valores astronômicos.

O que eu não entendo é; porque não brigam por uma carga tributária justa, condições paritárias, de forma que os custos fiquem equivalentes e a concorrência saudável, para que assim vença o melhor? Porque não tentar oferecer algo realmente diferente e de qualidade por um preço justo?

Deve ser mais fácil chamar de pirata né?!

De todos os citados aqui o Uber sempre me pareceu ser notadamente um serviço ‘fora da lei’ e por isso sempre fui contra. No entanto esses dias um colega, também cadeirante, teve o desprazer de pegar um táxi onde o taxista o ajudou a entrar no carro (reclamando aos céus pelo azar de levar um deficiente) e quando chegou ao destino, ou seja quando já teria que pagá-lo pela corrida, se recusou a ajudá-lo a sair do veículo. Depois disso, visto que não foi a primeira nem a última vez que ví ou vivenciei uma situação chata assim, passei a torcer para que o Uber, tenha uma chance de ser regulamentado, pois tem como maior princípio o bom atendimento ao cliente.

Quanto ao Netflix e o WhatsApp, até agora nenhuma ‘suspeita’ tinha recaído sobre eles, mas como aparentam estar ‘fora dos parâmetros do mercado’, não se assuste se uma ‘boa (?) regulamentação’ for feita para te dizer quando, onde e principalmente por quanto, você poderá usá-los!

Melhor você correr e assistir House of Cards logo, antes que a casa caia.

Fonte: JusBrasil

Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste site, sem autorização prévia por escrito dos responsáveis, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônico, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros.